Buenos Aires

Estive em Buenos Aires a trabalho durante a semana passada inteira. Não pude conhecer muito da cidade pois só tive tempo para fazer turismo no último dia. De qualquer maneira, esse post será um breve registro de minhas experiências na Argentina.

Transporte

Os ônibus são muito baratos, pois parecem que contam com subsídio do governo. Diferentemente do Brasil, lá você paga um valor proporcional à distância até seu destino. Mas mesmo no caso mais caro, creio que não chega a 2 pesos. Além disso, só se aceitam moedas como pagamento.

Para quem está nas proximidades do centro, o metrô (conhecido por subte) é uma boa opção, custando 2.50 pesos (mapa). A linha A é particularmente curiosa devido a seus vagões de madeira.

Linha A - Subte

Táxis não são muito caros. Usei essa opção entre no trecho Aeroporto-hotel. Aliás, o número de táxis é muito grande comparado ao número de veículos particulares. Só é preciso tomar cuidado com taxistas mal-intencionados.

Comida

Do ponto de vista gastronômico, tive recomendações de experimentar o bife de chorizo e bife de lomo que são dois cortes bovinos. Eu gostei bastante. Também tive o privilégio de ir a um churrasco (asado) tipicamente argentino. Diferentemente daqui (pelo menos de São Paulo), o churrasco é feito em fogo mais baixo, deixando a carne assar por mais tempo, resultando em uma textura mais macia.

Lugares

No tour de um dia, visitei alguns lugares famosos como a Casa Rosada, a Catedral Metropolitana, o bairro Puerto Madero, o bairro do Boca, incluindo o estádio do Boca Juniors e el Caminito.



El Caminito

Outras atividades

Durante a semana também fui a um show de tango e pratiquei um esporte chamado padél, que é uma espécie de tênis, só que mais leve, com quadra menor e raquetes que madeira. Eu nunca tinha ouvido falar, mas de acordo com a wikipedia é o segundo esporte mais popular na Argentina!

Conclusão

Algumas impressões: achei as calçadas muito estreitas, pelo menos na parte central da cidade; Achei curioso que alguns bares possuam entregadores para levar o café na bandeja até escritórios próximos; Os argentinos que conheci do trabalho são bastante educados e receptivos.

Senti falta de saber falar espanhol para poder me comunicar melhor e também gostaria de ter tido mais tempo para visitar outros pontos turísticos.

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: