Dicas para o mestrado

Agora que estou terminando o mestrado, vou aproveitar e compartilhar dicas que me ajudaram a manter a produtividade durante esse período. Principalmente depois que você termina as disciplinas, manter o foco e a motivação em um mesmo problema durante um ano é bem complicado. As dicas que apresentarei a seguir tentam essencialmente auxiliar nessa tarefa.

Tenha uma lista de tarefas

Essa é a famosa to-do list. Detalhe as tarefas o máximo possível, como por exemplo como pretende abordá-la. Coloque até as tarefas mais simples, pois em dias pouco produtivos, cumprir tarefas, mesmo que pequenas, trará uma sensação de dever cumprido.

Se sua lista estiver no computador, recomendo que não apague as tarefas cumpridas, mas sim risque-as. Ver uma grande quantidade de tarefas cumpridas pode ser interessante para manter a motivação e evitar aquela sensação ao final do dia de “o quê que eu fiz hoje?!”

Comecei com o google docs. Num primeiro momento coloquei todas as tarefas com itens e ia riscando conforme fosse cumprindo. O problema é que com o tempo você perde o foco das tarefas não realizadas mais antigas.

Passei então a separar as listas por semanas, copiando as tarefas da semana anterior que não tivessem sido cumpridas. O chato disso é que sempre tem aquelas tarefas que você fica postergando e então as tarefas da semana vão acumulando.

Recentemente migrei para o velho papel e caneta, mantendo uma lista de tarefas diárias, com o mesmo esquema de copiar tarefas não cumpridas. A vantagem de fazer no papel é que copiar a tarefa dá muito mais trabalho, o que eu esperava que fosse um motivador a mais para cumpri-la. Bom, isso nem sempre funciona, pois há vezes em que acabo deixando de copiar e a tarefa fica esquecida. Escrevo essa lista logo que começo a trabalhar, mas posso adicionar itens ao longo do dia.

Para me organizar, mantenho as folhas num fichário. Assim eu posso de vez em quando dar uma passada para procurar tarefas não cumpridas. Em suma, esse método não é perfeito, mas foi ao qual eu mais me adequei.

Além dessa lista, de maior granularidade, eu mantenho uma lista no remember the milk. Lá eu coloco tarefas menos específicas e que não necessariamente precisam ser feitas no mesmo dia. Acho que é o uso mais comum de uma to-do list. Ela me ajuda a compor a minha lista diária no papel.

Local de trabalho

Isso varia de pessoa para pessoa, mas eu particularmente não consigo trabalhar em casa! Durante todo o mestrado preferi ir à Unicamp, mesmo gastando 1h30 para ir e voltar.


Laboratório de otimização e combinatória

Em casa há muita fonte de distração. Além disso, no laboratório há outras pessoas trabalhando, o que acaba incentivando você a parar de enrolar e trabalhar também. Uma desvantagem é que às vezes você precisa de mais concentração e a conversa atrapalha. Nesses casos, se não for usar o computador, costumo ir pra biblioteca (que infelizmente não é assim, tão silenciosa).

Horário de trabalho

Sempre tive um horário de trabalho fixo, entrando e saindo nos mesmos horários, trabalhando cerca de 8h por dia.

A flexibilidade de uma pós-graduação te permite agendar compromissos, como ir ao médico, em qualquer horário. Mas é preciso tomar cuidado para que isso não ocorra frequentemente. Sempre que eu vejo que trabalhei muito menos do que as 40h semanais, procuro compensar aos Sábados ou Domingos. Não gosto de compensar durante outros dias da semana porque para mim, trabalhar mais do que 9h por dia não rende.

Quanto à divisão de tarefas, procuro sempre realizar as tarefas mais “intelectuais”, como ler artigos ou livros, estruturar um programa, na parte da manhã. Já na parte da tarde deixo para implementação.

Reuniões

Faço reuniões semanais com meus orientadores. Essa frequência dependerá mais do orientador do que de você, mas não custa conversar e expor seus motivos. A princípio parece tentadora a ideia de só fazer reuniões quando tivermos algo para mostrar, mas para mim, a ausência de deadlines leva à procrastinação e consequentemente à baixa produtividade.

Obviamente isso só funciona se você se preocupa em não chegar a uma reunião com as mãos abanando :)

Conclusão

Essas dicas me foram úteis, mas não quer dizer que sejam para outras pessoas. Entretanto, foi lendo dicas de outras pessoas que eu pude experimentar diversos métodos e, mesmo descartando a maioria, consegui aproveitar alguns.

Um blog sobre produtividade pessoal que eu gosto é o efetividade.net. Eu costumava acompanhar também o lifehacker, mas o volume de posts lá é muito grande.

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: